domingo, 23 de fevereiro de 2014

Governo do Paraná continua saqueando bolso de paranaenses. Rombo nas contas judiciais é de mais de R$ 3 mi e o valor pode triplicar. Que nome se dá a isso?


Sem dinheiro em caixa e com dificuldades até para pagar a folha do funcionalismo, o Governo do Paraná continua tirando dinheiro de forma ilegal das contas dos paranaenses. Já são pelo menos 123 contas judiciais zeradas que somam mais de R$ 3 milhões sacados ilegalmente para abastecer o caixa estadual. Mas o rombo pode pelo menos triplicar. O levantamento feito a pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR) é parcial. Diversas cidades do Paraná ainda não encaminharam os dados pedidos pela OAB. É o caso de Londrina, a segunda maior do estado. Em Curitiba, o relatório inclui até agora apenas, as disputas envolvendo a 2ª Vara. Outras três que passam por processo de estatização não encaminharam qualquer informação sobre os saques ilegais. E sim, a palavra é ilegal mesmo, e não “irregular” que dá uma conotação mais leve para o saque feito ao bolso do paranaense. Vejam, uma lei federal permite que os Estados saquem até 70% dos depósitos judiciais de natureza tributária, que envolvem litígios sobre impostos estaduais, mas É PROIBIDO mexer nas contas não-tributárias, de causas privadas, portanto é ilegal.
O governo alega que já devolveu o dinheiro sacado ilegalmente, mas só fez as devoluções depois que a OAB entrou no caso. Alegar que foi um “acidente”, um “descuido”, ou que foi “sem querer” é brincar com a inteligência da população. Isso é mais do que má-fé.
Para entendermos melhor basta fazermos duas perguntas. Vamos a elas.
1-  Que nome se dá ao ato de um cidadão pegar dinheiro de outro, limpar uma conta, sem a autorização devida, sem aviso, na calada da noite?
2- E se for o governo a limpar sua conta?